Vida (não) é sonho para irmã de Carla Bruni

Há dois anos, o próprio Thierry Frémaux, diretor artístico do Festival de Cannes, subiu ao palco do Théâtre Debussy, palco da mostra Un Certain Regard, para apresentar o filme Atrizes, que participava da seleção oficial. Ele se referiu à atriz e diretora Valeria Bruni Tedeschi como uma artista, mas principalmente uma pessoa, muito querida pelo mais importante evento de cinema do mundo. Valeria estava emocionada. Ela dedicou a sessão ao irmão, que foi seu maior incentivador, mas morreu sem ter visto Atrizes. Assista ao trailer do filme Atrizes A sessão começou, assim, sob o signo da emoção. No encerramento do festival, Valeria ganhou o prêmio especial do júri, que veio se somar aos outros que já havia recebiodo como diretora. Seu longa de estreia, Il Est Plus Facile pour Un Chameau... foi premiado nos festivais Tribeca e de Ancara e recebeu o Prêmio Louis Delluc, um dos mais importantes da França, como melhor filme de 2007. Valeria nasceu em Turim, no Piemonte, em 1964. Possui dupla cidadania, italiana e francesa. É irmã de Carla Bruni e, portanto, cunhada de Nicolas Sarkozy, atual presidente da França. É companheira de Louis Garrel, o charmoso filho de Philippe Garrel que virou ator fetiche de Christophe Honoré (Em Paris, Canções de Amor, A Bela Junie). O casal adotou um bebê africano. Garrel integra o elenco de Atrizes.Em Cannes, Valeria explicou que a origem de Atrizes está numa conversa que ela teve com sua amiga, a também atriz e diretora Noémie Lvovsky. Ela contava o que poderia ter sido um episódio banal de sua vida, mas que a marcou profundamente. Valeria interpretava a peça Um Mês no Campo, de Turgueniev, quando foi substituída, no meio da temporada, pela assistente do diretor. Essa história de uma pessoa que toma o lugar de outra começou a obcecá-la, até porque a arte da representação consiste em usar máscaras e dar vida ao outro (à outra). Foi surgindo a protagonista de Atrizes. Ela é admirada no palco, leva o que parece uma vida plena, mas a morte do pai a leva a se defrontar com a própria solidão. Essa mulher adulada, querida, se sente incompleta. Ela gostaria de ter um filho, por exemplo.A heroína de Atrizes acorda no meio da vida para descobrir que a vida, até ali, foi sonho - mas não o de Calderon, na sua peça famosa. A constatação é mais de que ela viveu fora de foco, fora da realidade. A peça, dentro do filme, é a de Turgueniev, mas num determinado ela é invadida pelo espírito de Pirandello, quando a personagem do autor russo, Natalia Petrovna, aparece para a protagonista, Marceline. A identidade é uma questão crucial. Além de Valeria e Garrel, estão em cena Mathieu Amalric, Valeria Golino e Noémie Lvovsky. O filme tem classe. Além de boa atriz, Valeria é boa diretora.ServiçoAtrizes (Actrices, França/ 2008, 107 min.). Comédia. Dir. Valeria Bruni Tedeschi. 14 anos. Cotação: Bom

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.