Uruguaio faz um mosaico dos estados da alma

O escritor uruguaio Mario Benedetti compõe uma coleção de breves relatos transformados em mosaico reveladores de sentimentos e estado da alma que passam pela nostalgia, a alegria, o abandono, o amor e o desamor. Entre contos e cartas ficcionais, ele fala de encontros e despedidas, de distanciamento e passagem do tempo. São recortes em que Benedetti alia, mesmo nos momentos mais duros, o humor e a possibilidade de redenção. As histórias envolvem a relação de um filho com os pais separados, as experiências de um menino incapaz de falar, a abordagem amorosa em um bar e o relato comovente de um homem preso por matar quem amava. A tradução é de Rubia Prates Goldoni.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.