Uma reação contra o culto exagerado da aparência

Traduzido por Paulo Reis e Sergio Moraes Rego, Monstros Invisíveis é um libelo contra o culto social supremo da beleza. Autor de Clube da Luta, seu romance de estreia, adaptado para o cinema por David Fincher, o norte-americano Chuck Palahniuk criou a história de Kay Mac Isaac, modelo em ascensão que sofre um terrível acidente de carro. No hospital, Kay conhece Brandy Alexander, uma figura estranha que deseja mudar de sexo. As duas empreendem a procura do irmão de Brandy, vivendo as aventuras mais tresloucadas. Esse deslocamento funciona como uma metáfora que simboliza a busca da identidade por indivíduos cindidos entre o que de fato são e o que o meio social lhes pede para ser.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.