Uma mulher de moral, a operária de Carlos Reichenbach

Crítico e diretor de cinema, Carlos Reichenbach é, acima de tudo, um cinéfilo apaixonado. Nos textos e filmes que realiza, ele passa esse amor pelo cinema, ou melhor - por um tipo de cinema autoral e transgressivo. Reichenbach havia decepcionado com Bens Confiscados. Falsa Loura, às 22 horas no Canal Brasil, é um grande filme do cineasta.Na obra do diretor, o cartaz da TV paga prossegue a vertente sobre a mulher operária. Rosanne Mulholland faz Silmara, a protagonista que parece mais descolada do que realmente é. No fundo, é uma romântica que vai tomar duras lições de vida ao se envolver com dois homens, ambos ligados ao universo da música. Um deles é interpretado por Cauã Reimond; o outro, mais maduro, por Maurício Mattar. Djin Sganzerla, filha de dois mitos - Helena Ignez e Rogério Sganzerla -, tem uma participação importante como a amiga.Admirador do cineasta italiano Valerio Zurlini, Reichenbach homenageia seu mestre com cenas de grande beleza. Imagem e música completam-se na longa sequência do haras, quando Silmara é atraída à casa de Maurício Mattar. Ela reconhece a queda, mas se revela uma mulher de moral. A atriz alia talento à beleza. É maravilhosa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.