Uma história de traições, de intrigas e até de amor

Em 1808, um capitão conduz seus soldados espanhóis à morte e à glória. Quatro anos depois, um coronel encaminha seus comandados a um combate sangrento contra tropas espanholas. O capitão e o coronel são a mesma pessoa: José de San Martín. A partir daí, sucedem-se batalhas, mortes, traições, intrigas, perseguições, juramentos e até uma amarga história de amor. Baseada em rigorosa investigação histórica, o jornalista argentino Jorge Fernández Díaz narra em La Logia de Cádiz uma história que parece conhecida, mas sob a qual paira muita névoa. Tomás Eloy Martínez diz que seu compatriota não escreve para ocultar o que as coisas são, mas para revelá-las num realismo nada mágico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.