Uma aula sem giz nem quadro negro para poucos e bons

Cinco alunos do Centro Livre de Aprendizagem Musical são selecionados para assistir à apresentação no Anhembi

Patrícia Villalba, O Estadao de S.Paulo

19 de janeiro de 2009 | 00h00

Referência tanto no pop quanto no jazz, Elton John foi no sábado mais do que um crooner para cinco músicos do Centro Livre de Aprendizagem Musical (Clam), a escola de música fundada há 35 anos pelo Zimbo Trio. Para eles, a apresentação foi uma verdadeira aula, em moldes um pouco diferentes das apresentações da série Sala do Professor Buchanan?s, que há três anos ensina jazz aos ouvintes da Rádio Eldorado, mas com o mesmo espírito.Selecionados pelos mestres Amilton Godoy e Rubinho Barsotti para o projeto Buchanan?s Forever, Percio Sapia (baterista), Janete D?Alonso (pianista), Henrique Pereira (baixista), Tico d? Godoy (saxofonista) e Débora de Aquino (flautista e saxofonista) fazem parte do grupo de alunos avançados do Clam, que tem hoje perto de 400 alunos. Eles viram no sábado o primeiro de uma série de shows que vai até julho e termina com uma apresentação especial deles mesmos, no Bourbon Street. Até lá, serão mais cinco aulas-show, comandadas pelo apresentador e idealizador do Sala do Professor Buchanan?s, Daniel Daibem. "O que primeiro norteou a escolha dos músicos foi a ideia de compor um quinteto. Sem falar, é claro, na experiência e qualidade musical de cada um", diz Amilton Godoy. "Os alunos se reúnem uma vez por mês para tocar, vários grupos se formam na escola. Então, esse projeto se torna importante também porque é capaz de dar visibilidade às carreiras desses músicos."Nenhum dos cinco músicos esteve no último show de Elton John no País, há 14 anos. Mas fazem questão de reconhecer a importância dele em suas trajetórias, tanto do ponto de vista musical quanto profissional, pela maneira impecável como conduz sua carreira. "É um músico que marcou a nossa geração inteira, apesar de ser ligado ao pop", observa Janete. "Quando fomos selecionados para o projeto, nem sabíamos que esse show estaria na programação. É indescritível ter a oportunidade de estar aqui", resume Tico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.