Um show de ano novo

Megashows, como os de Rod Stewart e Bob Dylan, devem ocorrer em 2008, mas o foco nos novos será forte, como Klaxons, Editors, Ozomatli e Bonerama

Jotabê Medeiros, O Estadao de S.Paulo

31 de dezembro de 2007 | 00h00

Começou. E promete ser um ano tão diversificado quanto 2007, mas (ao menos no primeiro semestre) ensaia uma mudança: devemos presenciar menos megashows e assistir a um desfile de novidades artísticas.Assim, um dos expoentes daquilo que foi batizado como "cena neorave", o grupo inglês Klaxons, deve desembarcar no País já em março, para o Festival Indie Rock (ao lado dos também ingleses Editors e do americano Yo la Tengo). E há ainda uma lista quente (não confirmada) de novíssimos a caminho, como os franceses do Justice e os suecos do Peter, Bjorn and John.Mas vamos ao que está certo. O neosoul do sueco Eagle-Eye Cherry abre a temporada, em 16 de janeiro, no Festival de Verão de Salvador (no dia seguinte, ele canta no Via Funchal, em São Paulo, e a seguir no Oi Noites Cariocas, no Rio).Outro sueco melodioso (apesar do nome), José González volta com seu neofolk ao País para dois shows: no dia 22 de janeiro, no Sesc Vila Mariana, e no dia 23, no Santander Cultural, em Porto Alegre (RS). González nasceu em Gotemburgo, de família argentina, e esteve aqui no ano passado. É freqüentemente comparado a Elliot Smith e Nick Drake. "Mas acho que a música que mais me influencia é a brasileira. Adoro Chico Buarque, Vinicius de Moraes. Quando comecei a aprender violão, foi com a tablatura da bossa nova. O jeito de tocar e cantar de João Gilberto é uma grande influência", disse ele ao Estado, no ano passado.Simultaneamente, chega a atriz-modelo-apresentadora-cantora Hillary Duff, que se apresenta no Via Funchal nos dias 21 e 22 de janeiro (show extra, já que o primeiro vendeu tudo). É sua primeira vez no Brasil (ela tinha show marcado no País em maio de 2006, mas cancelou por conta de uma amidalite).O peso chega com o Iron Maiden, nos dias 2, 4 e 5 de março, em São Paulo (Estádio do Palmeiras), Curitiba (Pedreira) e Porto Alegre (Gigantinho). A turnê Somewhere Back in Time World Tour 2008 é uma das turnês de maior fôlego da temporada: até agosto, o grupo terá viajado cerca de 100 mil milhas, passando por 20 cidades em cinco continentes em 7 semanas, o que inclui países como Índia, Japão, Austrália e Brasil.Continuando na área do peso, já está confirmado para o dia 31 de maio um show do decano grupo de metal melódico escocês Nazareth na casa de shows Helloch, em Curitiba. De acordo com seu site oficial, eles tocam também em São Paulo, no dia 28 de maio, e em Florianópolis, no dia 1.º de junho, mas os locais ainda não foram divulgados.A chegada dos Klaxons, em maio, além de prometer uma jornada de rock altamente dançável, de combustão instantânea, traz também um lado meio "Caras" para o País, já que o garoto Simon Taylor, líder do grupo inglês, deve casar por aqui (ou já chegar casado) com a cantora brasileira Lovefoxxx, do grupo Cansei de Ser Sexy. É madeira sequinha para a fogueira do colunismo social.No jazz, o ano já começa quente, com o retorno do quinteto do contrabaixista Dave Holland (até agora, só confirmado para o Mistura Fina, no Rio de Janeiro). Holland esteve aqui no dia 30 de setembro de 2006, e comemorou seu 60º aniversário no palco do Auditório Ibirapuera, acompanhado desse quinteto fantástico que tem o trombonista Robin Eubanks (de quem ele toca a composição Easy Did It), o baterista Nate Smith, o vibrafonista Steve Jones (de quem ele tocou Go Fly a Kite) e o saxofonista Chris Potter.Já no Bourbon Street Music Club, a maior aposta do ano é o crossover. No caso, representado pelo grupo Bonerama, de New Orleans, banda residente do mítico club Tipitina?s. O grupo é liderado pelos trombonistas Mark Mullins e Craig Klein e, com uma formação típica das brass bands sulistas, investe contra todo tipo de estatuto musical, tocando também Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Black Sabbath e Allman Brothers.A usina sonora do Bonerama chega a bordo de seu terceiro álbum, Bringing It Home, gravado ao vivo no Tipitina?s em 24 de julho de 2007. Como eles, o grupo americano Ozomatli, formado em Los Angeles por filhos de imigrantes, misturando salsa, funk, jazz e hip-hop, seduziu platéias e ganhou um Grammy em 2004. É atração no Auditório do Ibirapuera, no dia 10 de fevereiro.Outro show confirmado é o do retorno do Earth, Wind & Fire, que chega ao Via Funchal no dia 16 de fevereiro. Lendário grupo de música black americano, a banda levou ao paroximo a mistura de funk, jazz, soul, gospel, pop, rock & roll, psicodelismo, blues, folk, música africana e, em sua época, disco music.Para os fãs do rock psicodélico brasileiro, há uma grande notícia: a lendária banda brasileira Casa das Máquinas fará um show de retorno no Festival Psicodália, que será realizado entre os dias 2 e 5 de fevereiro no campo, em São Martinho (SC).A banda Casa das Máquinas foi criada em 1972, quando Netinho e Aroldo, dos Incríveis, descontentes com o rumo comercial que sua banda estava tomando, resolveu retornar ao rock puro. A banda se desfez em 1978, depois de um incidente que resultou na morte de um cinegrafista. Mas tem legiões de fãs até hoje.O Festival Psicodália reúne algumas das bandas mais interessantes da nova safra psicodélica, como Gato Preto, Sopa, Sopro Difuso, Cores Berrantes e Goya (do Paraná), Tomada (de São Paulo) e Electric Trip, Fantomáticos e Apanhador Só (do Rio Grande do Sul). Tudo num cenário de rios, cachoeiras e mato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.