Um processo criativo sem régua e sem compasso

Alma-de-GatoFlávio Moreira da CostaAgir358 págs., R$ 34,90O crítico Wilson Martins diz que Flávio Moreira da Costa tem "o faro da modernidade". Ganhador do Prêmio Jabuti na categoria romance com O Equilibrista do Arame Farpado, o gaúcho Moreira da Costa tem criado uma narrativa inventiva, de grande capacidade observadora. Alma-de-Gato - Trilogia de Aldara encaixa-se nesse processo criativo, ao mesmo tempo que não se enquadra em gêneros. Trata-se do diário de um narrador que alterna reflexões sobre o ato de escrever com o aparecimento das personagens. Essa ficção distancia-se dos "que escrevem romance com régua e compasso". Até porque "todo romance que se preze parte do zero, inventa ou reinventa o próprio gênero".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.