Um Pouco do Muito Que Foi Dito

''''Há uma representação reduzida de grupos do Nordeste e nenhum da região Norte aqui. Nós temos feito encontros com grupos da Paraíba e do Ceará e vamos tentar ampliar diálogos''''FERNANDO YAMAMOTOCLOWNS DE SHAKESPEARE, NATAL''''O que queremos? Por que é importante o teatro que você faz?''''TICHE VIANABARRACÃO TEATRO CAMPINAS''''O teatro que fazemos é um espaço de discussão da vida da cidade. Um teatro que se interroga constantemente sobre o sentido do que está fazendo''''JOSÉ FERNANDO AZEVEDOTEATRO DE NARRADORES, SP''''Seria muito bom se cada pessoa desse país soubesse que há uma forma de fazer teatro que só existe porque se vincula à comunidade. E que pode fazer muito mais e melhor, com mais qualidade, se tiver apoio do poder público''''CHICO PELÚCIOGRUPO GALPÃO, BELO HORIZONTE''''É muito difícil afirmar a dimensão pública da arte teatral, seu caráter de bem simbólico a que todo cidadão tem direito, num país onde o ''''público'''' não existe. A educação está privatizada; a saúde privatizada. Todas as trocas estão mercantilizadas. Tudo se compra e se vende''''JOSÉ FERNANDO AZEVEDOTEATRO DE NARRADORES, SP''''Qual a relação que se estabelece com o que é público? O espaço de um grupo teatral de pesquisa não é um lugar para guardar cenário e ensaiar, mas um território de vínculo com a comunidade, não com o consumidor, mas com o cidadão''''TICHE VIANA''''A forma como compartilhamos nossa arte, como fazemos nossas trocas com a comunidade nos deixa próximos da idéia de formação e educação''''CHICO PELÚCIO''''Entendemos o teatro como um lugar de produção de pensamento crítico. Nosso olhar sobre a realidade nunca é de adesão, não é fotografia''''JOSÉ FERNANDO AZEVEDO''''A qualidade de nosso teatro é fruto desse diálogo com a sociedade e da resistência a um modelo de produção que transforma tudo em mercadoria, em produto. Qual sociedade temos? Qual a sociedade que a gente quer? São indagações que movem a criação de nossos grupos e que fazem deles espaços de encontro e de exercício crítico''''PEDRO PIRESCIA. DO FEIJÃO, SÃO PAULO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.