Um marco do cinema noir, por Bogart e o diretor Huston

Rebatizado como O Falcão Maltês - de acordo com o livro de Dashiell Hammett (The Maltese Falcon) em que se baseia -, o clássico noir de John Huston com Humphrey Bogart é a a atração do canal TCM, às 22 horas. O filme de 1941 - contemporâneo de Cidadão Kane, de Orson Welles -, estreou nos cinemas brasileiros com outro título, Relíquia Macabra.Quando Huston, grande roteirista, escolheu o livro de Hammett para sua estreia na direção, a briga pelo falcão maltês já tivera duas adaptações na tela, e a segunda, de 1935, envolvia uma equipe prestigiada - o diretor William Dieterle e a estrela Bette Davis, que fariam depois Juarez. Bogart veste a pele de Sam Spade e encarna o detetive durão contratado para encontrar a estatueta do título. Sua busca o leva a encontrar figuras bizarras (Peter Lorre como Joel Cairo, Sydney Greenstreet como Fat Man e Elisha Cook Jr. como o sicário Wilmer), mas nenhuma é mais perigosa do que a bela e fatal Mary Astor, que repete o papel da malvada Bette Davis. Não é por acaso que o filme antigo se chamava Satan Met a Lady, O Diabo Encontrou (Enviou?) a Mulher. Bette podia ser melhor do que Mary, mas a versão de Huston é a definitiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.