Um labirinto de paixões revela a lei do desejo, por Almodóvar

Dez da noite - é hora de sintonizar no Telecine Cult, da TV paga, para assistir a um dos maiores filmes da primeira fase de Pedro Almodóvar, que culminou no megassucesso de Mulheres à Beira de Um Ataque de Nervos. O primeiro Almodóvar era escrachado e transgressor. A Lei do Desejo, com Eusebio Poncela, Carmem Maura e o jovem Antonio Banderas, tem a cara dele.O filme é de 1987 - o último anterior a Mulheres à Beira, que surgiu no ano seguinte. Conta a história de um diretor de cinema que planeja filme sobre sua ?irmã?, um transexual, ao mesmo tempo que vive problemas de foro íntimo, com seu namorado - o cara é gay.Com o fundo de Ne Me Quitte Pas, de Jacques Brel, na versão de Maysa, A Lei do Desejo evolui na tela por meio de revelações que poderão parecer chocantes, como a de que Tino, um dos irmãos, foi amante do próprio pai e trocou de sexo para aliviar a culpa, mas isso não lhe garantiu a permanência da paixão e ele/ela foi rechaçado/a. Um labirinto de paixões - título do longa de estréia de Almodóvar - anima a lei do desejo segundo o diretor espanhol, num filme permeado de referências a Alfred Hitchcock e a mitos como Elizabeth Taylor, cuja face aparece entre as dos anjos, num presépio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.