Um Idi Amin Dada que valeu o Oscar ao ator Forest Whitaker

Forest Whitaker ganhou o Oscar por sua interpretação em O Último Rei da Escócia (19h45 no Telecine Action). No filme de Kevin McDonald, Whitaker é ninguém menos que o ditador de Uganda, Idi Amin Dada, sanguinário, perigoso e surpreendente. Whitaker carrega o filme nas costas. E não apenas porque está fisicamente parecido com o ditador. Isso, até certo ponto, seria secundário. Muito mais impressionante é seu trabalho com o que supõe seja o caráter de um déspota. A mistura de crueldade e infantilismo, o desprezo absoluto pelo outro, a confusão mental - tudo precisa ser expresso em palavras, mas também em atos, movimentos faciais, na máscara do ator. E tudo está lá, na tela, graças a Whitaker e também, provavelmente, ao cineasta que o dirige.A outra figura que dá a dinâmica ao filme é o personagem de Nicholas Garrigan (James McAvoy), médico que vai para Uganda movido pelo espírito de aventura e, um dia, tem a sorte de estar no lugar certo, quando Amin se machuca. Garrigan lhe faz um curativo e ganha sua confiança. Torna-se amigo do ditador e, em seguida, conselheiro político. Tudo tem um preço e logo descobre que Amin não é apenas um tipo folclórico, mas pode ser bem perigoso e sua amizade, indigesta.

Luiz Zanin Oricchio, O Estadao de S.Paulo

05 de dezembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.