Um encontro de parceiros de arte

Grupo Folias abre palco para espetáculos de diferentes cidades e convida o público a participar de diálogos com a crítica

Beth Néspoli, O Estadao de S.Paulo

14 de janeiro de 2008 | 00h00

Dizer que já se tornou tradição seria exagero, mas há cinco anos o Grupo Folias - dirigido por Marco Antônio Rodrigues - finaliza a temporada teatral com uma mostra de seu repertório. Em sua 6ª edição, o Folias Mostra Tudo ganha um novo perfil: teve início no ano passado com a trilogia Orestéia e El Día Que Me Quieras, criações próprias, mas a programação para valer começa na sexta e será integrada basicamente por espetáculos convidados.O espetáculo de abertura, Ovos, Aves e Parafusos, de um grupo de Sorocaba, foi visto por Rodrigues no Festival de Teatro Universitário de Blumenau, em Santa Catarina, no ano passado. ''''Ele voltou de lá encantado pela qualidade desse trabalho'''', diz Reinaldo Maia, ator e dramaturgo do Folias. Rodrigues, o diretor do Folias, está em Coimbra, Portugal, onde dirigiu O Círculo de Giz Caucasiano, de Bertolt Brecht, que estreou em dezembro, e agora prepara uma montagem de Yerma, de Frederico García Lorca.Não foi apenas o critério da qualidade - de forma e conteúdo - que norteou as escolhas. ''''São parceiros no pensamento, que até em seus erros nos estimulam a refletir sobre o que estamos fazendo no teatro'''', argumenta Maia. Ele ressalta ainda que todos foram pouco vistos na cidade, seja por terem feito curtas temporadas, seja por encenações que por sua estética exigem público reduzido. ''''A mostra é uma nova oportunidade para quem não pôde ver.''''Platéia restrita, apenas 40 espectadores acomodados no centro de uma arena, com os atores atuando em torno, é o caso de Frátria Amada, criação do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, que se inspira na Odisséia para criar mais um espetáculo na linguagem do hip-hop. ''''Eu estava na última apresentação e foi uma loucura, tinha o triplo da lotação.''''Maia chama atenção para Camino Real, de Tennessee Williams. Trata-se do trabalho de um grupo paulistano, cujo primeira montagem, 17 Vezes Nelson - colagem de peças de Nelson Rodrigues - alcançou repercussão. ''''Camino Real sem dúvida não ecoou como merecia.'''' O mesmo não se pode dizer de A Julieta e o Romeu, cuja comicidade a um só tempo sofisticada e popular conquistou público e crítica. Mas nesse caso a temporada, no Teatro Fábrica, foi bastante curta, e ficaram apenas na vontade de ver.Todos os espetáculos apresentados sexta, sábado e domingo serão debatidos na terça seguinte por especialistas, críticos, pesquisadores ou diretores (confira ao lado), com entrada grátis. ''''Para quem cria o diálogo crítico é muito importante e esse é o objetivo dos debates abertos ao público.'''' O ensaio aberto do próximo espetáculo do Folias, Cabaré da Santa, dirigido por Dagoberto Feliz, com texto de Reinaldo Maia e do dramaturgo português Jorge Louraço, encerra a mostra.Programação Janeiro Sexta, sábado, domingoOvos, Aves e Parafusos (Grupo Katharsis de Sorocaba)Sábado e domingo, 17 hCaixa de ImagensTerçaDebate (Iná Camargo Costa e Valmir Santos)Dias 25, 26 e 27Frátria Amada (Núcleo Bartolomeu de Depoimentos)Dias 26 e 27, 17 hTravessias (Caixa de Imagens)Dia 29Debate (José Fernando de Azevedo e Rogério Toscano)FevereiroDias 8, 9 e a 10A Julieta e o Romeu (Grupo Barracão de Campinas)Dias 8 e 9, à meia-noiteAuto-Escola de Arte Dramática (Grupo Tempo de Campinas)Dia 9, às 20 hA Peleja... (Trupe Pau a Pique)Dia 12Debate (Bete Dorgam e Beth Néspoli)Dias 15, 16 e 17Caminho Real (Grupo Antikatártika Teatral)Dia 16, às 20 hA Peleja... (Trupe Pau a Pique)Dia 19Debate (Claudia Shapira e Reinaldo Maia)Dias 22, 23 e 24Cabaré da Santa (Grupo Folias)Local: Galpão do FoliasRua Ana Cintra, 213, Metrô Santa CecíliaHorários não informados acima: sextas e sábados às 21 h; domingos às 20 hDebates às 20 hReservas e informações pelo tel. 3361-2223Ingressos: R$ 30,00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.