Um cineasta em busca da essência das coisas

Segundo Jean-Luc Godard, Robert Bresson está para o cinema francês assim como Dostoievski está para o romance russo e Mozart para a música alemã. Notas Sobre o Cinematógrafo, traduzido por Evaldo Mocarzel e Brigitte Riberolle e agora reeditado, é uma coletânea de frases do cineasta francês, autor de Pickpocket e A Grande Testemunha. Adepto do minimalismo, usado para chegar à essência das coisas, Bresson pensa imagem como pintura e som como partitura musical, e assim vislumbrou instantes de eternidade nas ações mais prosaicas do cotidiano. Cinema, para ele, era um meio de revelação: uma manifestação que, ainda que veladamente, podia religar o ser humano ao que é divino neste mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.