Um artista que associou inteligência a experimento

O artista plástico carioca Hélio Oiticica (1937-1980) tinha um credo: "Minha abordagem sempre foi e sempre será experimental; do meu ponto de vista, a única postura realmente inventiva e completamente criativa (o que significa inteligente, não colonizado) é experimental." Com tal postura, Oiticica produziu uma obra que continua influente. Foi um dos fundadores do Grupo Neoconcreto - ao lado de Lygia Clark, Lygia Pape, Franz Weissman, Ferreira Gullar e Amílcar de Castro - e criou o penetrável Tropicália (1965), que influenciou o movimento de mesmo nome. Este novo volume da coleção Encontros, da Azougue, reúne entrevistas e depoimentos do artista concedidos entre 1961 e 1980.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.