Trilhas do cinema dos anos 50 são reinventadas

Vânia Bastos e Maria Alcina cantam canções que embalaram obras nacionais, como O Homem do Sputnik

Livia Deodato, O Estadao de S.Paulo

23 de setembro de 2008 | 00h00

A cantora Vânia Bastos já preparou seu sotaque francês e o inevitável biquinho para recriar a cena que Norma Bengell faz uma paródia de Brigitte Bardot no filme O Homem do Sputnik, comédia de 1959 de Carlos Manga. O disfarce de rumbeira de Oscarito em Aviso aos Navegantes, de 1951 do diretor Watson Macedo, agora será vestido por Maria Alcina que vai interpretar a canção Candelária, de Ruy Rey e Rutinaldo.Momentos marcantes do cinema nacional como esses serão revividos hoje no programa Pocket Trilhas, que pretende apresentar as músicas que embalaram risos e lágrimas na Atlântida Cinematográfica da década de 50. Além das duas intérpretes, o idealizador do projeto, o músico Fábio Caramuru, convidou um octeto que tem à frente o pianista e arranjador Marco Antonio Bernardo para reviver dezenas de cenas musicadas das chanchadas. Um clarinete, dois violinos, um contrabaixo, um violoncelo, piano e percussão vão relembrar um repertório "que está perdido há 50 anos", peneirado por Caramuru durante cerca de dois meses."Sempre fui apaixonado por essas duas artes, apesar de ser apenas músico. A vontade de fazer algo que reunisse as duas manifestações era antiga. Quando o projeto foi aprovado há cerca de um ano pelo CCBB comecei, então, o trabalho de pesquisa, que foi muito grande. Assisti muita coisa e fui selecionando cenas interessantes que ilustrassem da melhor forma a trilha", conta Caramuru, ressaltando que o projeto sempre teve como foco a música.O programa, que já abordou as trilhas de Bernard Hermann para Alfred Hitchcock e Nino Rota para Federico Fellini, chega ao fim na próxima terça-feira com os filmes americanos que tiveram como pano de fundo as canções de Richard Rodgers, responsável por toda a trilha de A Noviça Rebelde e autor de clássicos como Blue Moon e My Funny Valentine. "Todo mundo conhece a música criada por Rodgers, mas esquece quem é o cara que está por trás de tudo isso. O Pocket Trilhas está servindo para o resgate e a devida homenagem a todos eles", diz Caramuru. Os arranjos de Rodgers ficam a cargo de Caramuru, que também toca piano, Pedro Baldanza no baixo e Magda Painno no microfone. ServiçoPocket Trilhas. CCBB. Teatro (125 lug.). R. Álvares Penteado, 112, centro, 3113-3651. Hoje, às 13 h e 19h30. R$ 6

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.