Trieiros convida espectadores para um dedo de prosa com mulheres da roça

Convite para um dedo de prosa. Buscando essa atmosfera a atriz Doró Cross criou o solo Tranqueiras Fraseadas, no qual falava diretamente com o público, como se fora uma vizinha em conversa vagarosa. Pois agora Doró dá continuidade à sua pesquisa com a estréia, amanhã, do espetáculo Trieiros, criado mais uma vez a partir de entrevistas, com moradoras do interior de Goiás e da periferia da cidade de São Paulo.Desta vez a direção é de Regina Galdino e Doró divide do palco com as atrizes Soraya Saide, Juçara Morais e ainda com a sanfoneira Duda Maya, que cria uma espécie de paisagem sonora circundando a conversa. O cuidado que cerca a montagem fica claro ao se conferir os nomes da equipe técnica, integrada por profissionais premiados como o figurinista Fabio Namatami, o iluminador Guilherme Bonfanti e o músico Pedro Paulo Bogossian entre outros.Durante pouco mais de 1 hora, o espectador vai compartilhar as histórias de vida, ora comoventes, ora engraçadas, de três mulheres. Viver no interior ou mudar-se para a capital? Essa dualidade campo cidade está presente nas irmãs Leonora (Doró) e Maria de Goiás (Soraya). "Um a é inquieta, quer viver em São Paulo, muda de cidade a toda hora. A outra opta por ficar, por uma forma de viver", diz Regida Galdino. Juçara interpreta a mulher que muda por necessidade. "Para ela era tudo ou nada, teve de buscar a sobrevivência na cidade." Mas tudo é memória, revivida em tons suaves. ServiçoTrieiros. 70 min. 10 anos. Viga Espaço Cênico (50 lug.). Rua Capote Valente, 1.323, telefone 3801-1843. 6.ª e sáb., 21 h; dom., 19 h. R$ 20. Até 28/9

Beth Néspoli, O Estadao de S.Paulo

15 de agosto de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.