Três olhares brasileiros sobre a Rússia de hoje

Cosmos, que começa hoje na Pinacoteca, mostra em fotos a aventura de três profissionais pelo país

Adriana Del Ré, O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2028 | 00h00

A exposição Cosmos - Três Olhares sobre a Rússia será aberta a partir de hoje na Pinacoteca, com curadoria de Diógenes Moura e reunindo 173 imagens resultantes do ''''olhar estrangeiro'''' lançado por três fotógrafos brasileiros sobre aquele país. Também hoje, o pintor Geraldo Souza Dias inaugura a mostra de sua instalação Torre de Babel, como parte do Projeto Octógono do museu, com curadoria de Ivo Mesquita. A obra é uma torre de 9 metros de altura feita com pequenos quadros e espaços vazados, por meio da qual o artista trata da questão da palavra como imagem. No trabalho Três Olhares sobre a Rússia, durante cerca de 20 dias, os fotógrafos Mauricio Nahas, Paulo Mancini e Ricardo Barcellos se aventuraram por Moscou, São Petersburgo e imediações, sem saber ao certo o que conseguiriam. Com poucas informações e uma equipe de tradutores a tiracolo, cada um seguiu seu caminho. O resultado foi a reunião de um material fotográfico que dialoga entre si unicamente pelo imprevisível. De resto, são três leituras de um mesmo território marcado pelas ambigüidades. De um lado, ainda há o ranço de um país que viveu sob o signo do comunismo; de outro, a invasão da cultura ocidental e dos produtos capitalistas, advento da abertura político-social. De um lado, a população mais velha, que tenta se adaptar à modernização; de outro, uma juventude que vive intensamente a liberdade dos novos tempos, sem culpas nem preconceitos. ''''Tentamos retratar e entender um pouco dessa abertura'''', explica o fotógrafo Paulo Mancini. Munidos dessa liberdade, Mancini acabou acompanhando mais os adolescentes skatistas, Mauricio Nahas investiu nos portraits enquanto Ricardo Barcellos testou ângulos desconstruídos e menos tradicionais. Cosmos integra um projeto, que teve início com uma mostra fotográfica de Cuba, em 2005, e deve se encerrar com uma exposição sobre a China, em 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.