Trecho

Orah soltou um gemido agudo, como se tivesse sido picada por uma agulha. O que houve?, perguntou Avram delicadamente, de súbito tocado pela dor dela. Nada, ela disse, bobagem. Olhou de soslaio para ele, tentando penetrar nas trevas e finalmente enxergar quem ele era. De alguma maneira, num esforço sobrepassárico voou até o quarto número três, pousando na cama do seu colega de classe, que também dormia e tremia e suspirava e se coçava durante o sono. Tudo está tão quieto aqui, murmurou Avram, percebeu como essa noite está quieta? Houve um silêncio prolongado. Depois o rapaz disse numa voz amarrada e fragmentada: aqui parece uma tumba, talvez nós já estejamos mortos. Avram refletiu um pouco. Escute, disse, quando estávamos vivos tive a impressão de que estudávamos na mesma classe.

Entrevista com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.