Trancoso, a aldeia hippie agora é dos vips

Um maluco-beleza que tenha conhecido Trancoso nos anos 1970, quando era uma aldeia hippie, talvez chore ao ver o que virou o povoado debruçado para o mar, de uma falésia de 400 metros de altura. A começar pelo acesso. Antes era preciso acordar cedo e caminhar bem rápido pela praia a partir de Arraial d?Ajuda para percorrer 12 quilômetros de areia e pedras antes de a maré subir. Voltava-se aos solavancos, num ônibus caindo aos pedaços, por um caminho de terra todo esburacado. Hoje, a estrada é um tapete. No Quadrado desfilam ricos e famosos que jantam em mesinhas à luz de velas, ao ar livre, como numa festa de Natal permanente. Para quem gosta, é bonito. O maluco dos velhos tempos não ia gostar, não. Além do Quadrado - a praça rodeada por casas coloridas e uma igrejinha de costas para o mar -, Trancoso tem mansões, pousadas, restaurantes estrelados, lojas de grife e ateliês. Da balaustrada atrás da Igreja de São João Batista tem-se uma visão panorâmica. Mas ganhou também um amontoado de casas de alvenaria e comércio na entrada da vila.No verão, a elite paulistana domina a área. Durante o resto do ano, o Quadrado é dos nativos, que ficam por ali, sob as acácias e amendoeiras jogando futebol, dominó e principalmente conversa fora. A uns 10 minutos de caminhada fica a Praia dos Coqueiros, do lado direito da margem norte do Rio Trancoso. Na margem sul fica a Praia dos Nativos. Quanto mais se anda, mais bonito fica até chegar à Praia do Rio Verde e à Praia do Espelho das Maravilhas. Com um nome desses dá para imaginar, hein?Praia de falésias e piscinas naturais, bonitona e cheia de mordomia. O cliente pode se acomodar em esteiras, cadeiras confortáveis e almofadões em gramados à beira-mar enquanto espera que lhe chegue às mãos a água de coco, o drinque e o petisco. Ou em tendas para se proteger do sol. Claro que isso tem um preço. Depois de caminhar 16 quilômetros em areias desertas chega-se à barra do Rio dos Frades. No sentido contrário, a meio caminho de Arraial d?Ajuda pode-se aliviar do calor tomando banho de água doce na Praia do Rio da Barra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.