Isaac Lawrence/ AFP
Isaac Lawrence/ AFP

Tigela rara da dinastia Qing é leiloada por 30,4 milhões de dólares

Objeto de pouco menos de 14,7 cm de diâmetro é decorado com pinturas que combinam técnicas chinesas e ocidentais

AFP

03 Abril 2018 | 11h57

Uma tigela considerada extremamente rara pertencente à dinastia Qing, produzido para o imperados chinês Kangxi, foi vendido por 30,4 milhões de dólares em um leilão nesta terça-feira na Sotheby's.

O objeto, que mede pouco menos de 14,7 cm de diâmetro, é decorado com pinturas que combinam técnicas chinesas e ocidentais, incluindo flores, entre elas narcisos, que não estão entre as típicas representações na porcelana chinesa.

A tigela, utilizada pelo imperador no início do século XVIII, foi vendida em cinco minutos para um participante anônimo, que participou do leilão por telefone, informou o presidente da Sotheby's Ásia, Nicolas Chow.

"Este é o exemplar mais sofisticado que existe. Há apenas três exemplares que usam este belo rosa", completou.

O objeto foi criado em uma oficina imperial dentro da Cidade Proibida de Pequim por uma pequena equipe de artesãos, com a ajuda de jesuítas europeus que levaram novas técnicas e materiais ao país, informou a Sotheby's.

Nos últimos anos, as casas de leilões de Hong Kong registraram grandes ofertas por diamantes e vários objetos antigos, superando em muitos casos vários recordes mundiais.

No ano passado, uma taça de 1.000 anos da dinastia Song da China foi vendido por 37,7 milhões de dólares, um recorde para a cerâmica chinesa.

 

Mais conteúdo sobre:
Sotheby's

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.