Teleteatro da TV Cultura agora é ''''sessão maldita''''

No domingo retrasado a TV Cultura exibiu mais um programa da série Direções, Billy, a Garota, teleteatro dirigido por Mário Bortolotto, também autor do texto. Como os demais, foi exibido no horário das 21 horas. A reação provocada levou a emissora a transferir o programa para o horário da meia-noite. "Não sei o que aconteceu", diz Bortolotto. "Escolhi minha peça mais leve e não sofri qualquer censura durante a gravação. Não posso falar pela Cultura, mas acho que tem a ver com o fato de ser uma TV Pública." É o argumento de Jefferson Del Rios, coordenador do Núcleo de Dramaturgia. "A TV Pública tem função educativa por força de estatuto e tradição. Como conciliar a liberdade histórica e vocacional do teatro com as regras de um veículo de massa?" Os protestos começaram em blogs e chegaram à grande imprensa."Existem regras na indicação de faixa etária e horário. Pelo conteúdo, o teleteatro do Bortolotto seria mesmo indicado para às 23h. Como não tínhamos grade nessa hora, caiu para meia-noite." Bortolotto não desaprova a mudança. "Dá mais liberdade." Nem André Garolli, diretor de um programa que ainda vai ao ar. "De início achei ruim, mas aí me dei conta de que eu passaria a ver. Faltam bons programas nesse horário. Tem seu charme essa sessão maldita e vai atrair seu público."

O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2028 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.