Bertrand Guay/AFP
Bertrand Guay/AFP

Tela pouco conhecida do pintor Paul Gauguin será leiloada em Paris

O quadro ‘O Jardim de Pissarro’, exibido ao público por duas vezes em 140 anos, é estimado em 900 mil euros

Redação, AFP

14 de fevereiro de 2019 | 19h52

PARIS - Uma tela pouco conhecida do pintor francês Paul Gauguin (1848-1903), mostrada ao público por duas vezes em 140 anos, será leiloada em Paris em 29 de março, anunciou a casa de leilões Sotheby’s na quinta-feira, 14.

O quadro O Jardim de Pissarro, cujo valor estimado fica entre 600 mil euros e 900 mil euros, ficou na mesma família desde os anos 1920 e foi mostrado duas vezes, uma na França, em 1964, e outra nos Estados Unidos, em 2015-2016.

Existem pouquíssimos quadros dessa época no mercado artístico parisiense e a presença de dois autorretratos na parte posterior fazem dessa tela uma obra única em seu gênero, apontou a Sotheby’s.

“É muito comovente poder revelar ao público uma das obras-primas de Gauguin, emblemáticas de sua obra e testemunho do encontro de dois grandes mestres da arte moderna: Gauguin e Pissarro”, afirmou Aurélie Vandevoorde, diretora do Departamento de Arte Impressionista e Moderna da Sotheby’s na França, em um comunicado.

Foi graças ao também francês Camille Pissarro (1830-1903), a quem conheceu durante os anos 1879-1881, que Gauguin começou sua carreira como pintor e aprendeu todas as técnicas necessárias.

A cumplicidade entre os dois homens pode ser apreciada em um desenho a quatro mãos de 1880, conservado no Museu d'Orsay, que representa um retrato de Gauguin feito por Pissarro misturado com o de Pissarro de Gauguin.

É quase certo que o personagem debaixo do guarda-chuva representado no quadro é o próprio Pissarro, conhecido por pintar dessa forma. A casa é onde Pissarro viveu em Pontoise, situada no Quai du Pothuis, entre o verão de 1881 e novembro de 1882.

Tudo o que sabemos sobre:
Paul Gauguinartes plásticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.