Tata Amaral procura

Os três projetos da diretora de Antônia

Julia Contier, O Estadao de S.Paulo

15 de maio de 2008 | 00h00

Criadora da série Antônia, Tata Amaral tem três projetos para a TV, a começar por uma adaptação do livro infantil Bagdá: o Skatista, do escritor Toni Brandão, que pode render série e filme. ''Fala da molecada do skate e retrata o rito de passagem entre a adolescência e o mundo adulto'', conta Tata. ''Na mesma linha de Antônia, que falava das meninas do rap.''Bagdá é um skatista entre 17 e 18 anos, com dois amigos. Juntos, ele saem de São Mateus, zona leste de São Paulo, e giram pela capital à procura de boas manobras. O próximo passo é buscar uma emissora interessada para firmar parceria.O segundo projeto é a série De Menor. Ainda embrionária, gira em torno de uma jovem advogada, que começa a atender jovens na Fundação Casa, ex-Febem. ''Quero mostrar a vida dos meninos presos.''E a terceira proposta para a TV é A Rua Onde Eu Nasci, série de esquetes de 3 a 5 minutos sobre as ruas de São Paulo. ''Estou fissurada por esse projeto, adoro esta cidade, por isso minha vontade de retratá-la de diversas maneiras'', diz. Em foco, famosos e anônimos darão curtos depoimentos sobre diferentes ruas de Sampa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.