Surpresa torna-se tradição na lista de ganhadores

Jabuti e Man Booker, entre outros, gostam de apostar em desconhecidos

Ubiratan Brasil, O Estadao de S.Paulo

23 de setembro de 2008 | 00h00

Surpresas são uma constante nas listas dos grandes prêmios. O Jabuti, por exemplo, que divulga hoje os três vencedores de cada uma de suas 20 categorias, tem duas teses de doutorado entre os finalistas de romance: Rakushisha (Rocco), de Adriana Lisboa, e A Chave de Casa (Record), de Tatiana Salem Levy. Assim como outro classificado em contos e crônicas (Histórias de Amor e Cegueira, de Julián Fuks, também editado pela Record), são obras concebidas originalmente para avaliação universitária, mas, graças à quebra das regras acadêmicas, que possibilitou o texto exibir um teor mais pessoal, conseguiram fugir das categorias mais teóricas.O Jabuti continua o mais tradicional prêmio da literatura nacional, a julgar pelos números - 2.141 obras foram inscritas, disputando uma premiação total de R$ 120 mil e o primeiro lugar de cada uma das 20 categorias recebe R$ 3 mil. Os autores dos melhores livros do ano de ficção e não-ficção recebem R$ 30 mil cada um e só serão conhecidos na cerimônia de entrega das estatuetas, no dia 31 de outubro, na Sala São Paulo.Seguindo o que já parece ser uma tradição, também o mais importante prêmio literário do Reino Unido, o Man Booker, privilegia azarões. Foi assim no ano passado, com a irlandesa Anne Enright, com Kiran Desai em 2006, John Banville na temporada anterior e outros antes. Neste ano, os organizadores não esperaram pelo anúncio do vencedor para deixar a crítica de cabelos em pé - ao divulgar os seis finalistas, eles já riscaram veteranos como Salman Rushdie e John Berger, que figuravam em uma lista maior.Assim, a julgar pelo passado, é possível radicalizar e apostar em um dos dois estreantes, que são o indiano Aravind Adiga, candidato por The White Tiger, e o australiano Steve Toltz, por A Fraction of the Whole. Os demais postulantes são o irlandês Sebastian Barry, por The Secret Scripture; o indiano Amitav Ghosh, por Sea of Poppies; a inglesa Linda Grant, por The Clothes on Their Backs; e o também inglês Philip Hensher, autor de The Northern Clemency.O ganhador sai no dia 14 de outubro, mesma época em que deve ser anunciado o Nobel, ainda sem data definida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.