Sociólogo paulista fala do conceito de República

Esta publicação reúne artigos publicados quando a ditadura militar chegava ao fim, a redemocratização engatinhava e as mudanças possíveis ainda não se apresentavam claras. Publicados na Folha de S. Paulo a partir do movimento histórico Diretas Já (1984) e avançando até a eleição da Constituinte (1986), os artigos do sociólogo paulista falam não só do nascimento da chamada Nova República, mas do tipo de República que o governo civil de transição deve estabelecer. O Florestan militante e o acadêmico trabalham lado a lado para defender a realização de uma República popular e socialista. Ele consegue alinhar ao estilo comunicativo, claro, obrigatório no jornalismo, a densidade intelectual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.