Sobreviventes de acidente aéreo revivem a tragédia

Sociedad de la NievePablo VierciRHM EditoraPágs., R$ 62 "Havíamos incorporado a morte como algo totalmente natural, que podia acontecer a qualquer segundo. O fato é que tínhamos milhões de motivos para morrer, mas apenas um para viver. E, quando nos apegamos a isso, nossa relação se transformou. Todos a serviço de todos, gerando uma força ilimitada", conta o uruguaio Gustavo Serbino, um dos 16 sobreviventes de um acidente aéreo que, em 1972, deixou 72 pessoas isoladas na Cordilheira dos Andes. Seu depoimento está no livro Sociedad de la Nieve, em que Pablo Vierci conversa com os sobreviventes, que relembram o acidente. "Eu vi amigos meus morrerem todos os dias e me perguntava: o que eles fizeram de errado? Nada", conta outro passageiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.