Amanuel Sileshi/AFP
Amanuel Sileshi/AFP

Série de obras de arte saqueadas no século 19 retorna à Etiópia

Coleção inclui uma coroa cerimonial, um escudo imperial, um conjunto de taças de chifre de prata, um livro de orações escrito à mão e várias joias

AFP, Agência

20 de novembro de 2021 | 15h29

A Etiópia celebrou neste sábado, 20, o retorno à sua terra de uma série de tesouros antigos, saqueados no século 19 por soldados britânicos do Reino Unido, Bélgica e Holanda após uma longa campanha diplomática para obter sua restituição.

A coleção inclui uma coroa cerimonial, um escudo imperial, um conjunto de taças de chifre de prata, um livro de orações escrito à mão e várias joias.

A maioria das peças restauradas foram saqueadas pelo exército britânico em sua vitória sobre o Imperador Abissínio Tewodros II na batalha de Magdala em 1868.

Os tesouros foram revelados à imprensa no Museu Nacional de Addis Abeba, dois meses depois de terem sido oficialmente entregues às autoridades etíopes em Londres, em setembro.

A entrega desses objetos - a restituição mais importante já feita em benefício da Etiópia - tem "um significado enorme", disse o embaixador etíope no Reino Unido, Teferi Melesse.

A Etiópia continua exigindo de Londres a devolução de muitos outros objetos, incluindo as tábuas sagradas de pedra e madeira que representam uma Arca da Aliança, o baú que, segundo a Bíblia, continha os Dez Mandamentos dados a Moisés no Monte Sinai.

Vários dos tesouros exibidos no Museu Nacional seriam leiloados, mas foram comprados pela Fundação Filantrópica Scheherazade para serem devolvidos à Etiópia.

Outros deles foram adquiridos de pessoas físicas, colecionadores, comerciantes ou investidores. Entre eles, um conjunto de manuscritos medievais que seriam leiloados em Haia.

A Etiópia também está negociando a devolução de uma Bíblia e uma Cruz que deveriam ser leiloadas nos Estados Unidos.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Etiópia [África]roubo de arte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.