Sergio Leone revitaliza gênero com Era Uma Vez no Oeste

E não é que o mais norte-americano dos gêneros - o faroeste - ganhou sobrevida através de um cineasta italiano? Sim, é ele mesmo em quem você está pensando - Sergio Leone, diretor de Era Uma Vez no Oeste, cartaz do Telecine Cult hoje às 19 h. O filme é de 1968, quando se pensava no western como gênero morto. Isso até que Leone resolveu insuflar-lhe oxigênio falando exatamente do crepúsculo desse tipo de filme tão querido de uma legião de cinéfilos mundo afora.Leone filma com paixão os tempos mortos, dilata a sua dimensão em slow motion, como para saborear cada plano. A música de Ennio Morricone já é, em si, um clássico, criando temas inesquecíveis como, por exemplo, aquele que colou para todo o sempre em Charles Bronson, o Harmônica. O elenco também é de sonho - Henry Fonda, Claudia Cardinale, Jason Robards, etc. Mesmo que você seja um purista e não admita nada além de John Ford ou John Sturges nessa matéria, impossível não se divertir com Era Uma Vez no Oeste. A opção é Como Fazer Um Filme de Amor, de José Roberto Torero, às 18h30 no Canal Brasil. Com essa comédia inteligente, o diretor recicla todos os clichês do gênero romântico e, com isso, coloca-os em crise. Tem excelentes momentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.