Sem censura livre

Classificação Indicativa: Falta opção para menores de 10 anos

Keila Jimenez, O Estadao de S.Paulo

01 de setembro de 2009 | 00h00

A TV brasileira sofre com escassez de filmes e programas de classificação livre para preencher a programação vespertina. A constatação é do secretário Nacional da Justiça, Romeu Tuma Jr., que diz que as emissoras não se esforçam em produzir conteúdo adequado para o horário e preferem ver filmes e novelas antigas com cenas decepadas para passar pela classificação indicativa."Há uma demanda cada vez maior por filmes de censura livre. E, para adequar os títulos que não são apropriados ao horário, as emissoras acabam picotando as histórias. Não seria melhor produzir atrações de qualidade e própria para menores de 10 anos?", argumenta Tuma. "O mesmo acontece com as reprises de novelas. É claro que uma novela das 8 terá de ser cortada para ser exibida à tarde", continua. "Seria mais simples se o Ministério da Justiça não tivesse de interferir, pedir readequação."Para o secretário, a produção de mais conteúdo de classificação livre acabaria com o excesso de reprises de blockbusters nas tardes de domingo e de filmes com temática infantil durante a semana. "Seria benéfico também para a audiência", diz ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.