Segredos da dona da bilheteria

Walkiria Barbosa, da Total, comemora Se Eu Fosse Você 2 e promete mais

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

16 Março 2009 | 00h00

Ela é uma locomotiva, define Daniel Filho, referindo-se a Walkiria Barbosa, da Total Entertainment. "Walkiria puxa os carros com um entusiasmo que contagia", ele acrescenta. Embora sejam quatro os sócios proprietários da Total - os outros três são Iafa Britz, Wilma Lustosa e Marcos Didonet -, Walkiria dá uma cara à Total, como Ilda Santiago e ela também dão uma cara à Cima, empresa que organiza o Festival do Rio. A princípio, pode parece estranho - e até esquizofrênico - produzir filmes comerciais, com o o objetivo de divertir (o Entertainment do nome não nega), e organizar um grande festival que contempla a produção artística internacional. "Não tem esquizofrenia nenhuma", esclarece Walkiria. "Quando produzo Se Eu Fosse Você , 1 e 2, nunca penso que estou fazendo alguma coisa menor, ou menos relevante, porque não é verdade. É tão difícil acertar num filme comercial bem-feito quanto num artístico. E, no fundo, é mais difícil. Desde que a Total surgiu, nosso objetivo tem sido fazer o cross-over, ou seja, filmes para todas as idades e todas as classes sociais. Tenta fazer isso, para ver como é. É muito mais fácil falar para as classes A e B, ou C e D, para os jovens ou para um público mais maduro. Claro que é preciso relativizar esse ?fácil?, porque fazer cinema nunca é fácil. Mas é mais complicado querer acertar para muita gente." O ranking da Total (veja quadro nesta página) contabiliza mais de 12 milhões de espectadores em seus filmes produzidos (e distribuídos) em parceria com a Fox do Brasil. A cereja do bolo é Se Eu Fosse Você 2, de Daniel Filho, que ultrapassou a bilheteria de 2 Filhos de Francisco, de Breno Silveira e, com 5,6 milhões de espectadores pagantes, é hoje o maior sucesso da Retomada, o período da produção brasileira que começa com Carlota Joaquina, Princesa do Brasil, de Carla Camurati, em 1995. Se Eu Fosse Você 2 já ultrapassou, em quase 2 milhões, a bilheteria do primeiro filme da série, um sucesso para ninguém botar defeito - e com o qual sonham até os magnatas de Hollywood, cujas superproduções a Total ultrapassa nas bilheterias brasileiras. Vale conferir o que pensa Daniel Filho, o dono da bilheteria. Daniel nunca duvidou do potencial de seu filme - estamos falando do segundo -, mas até ele se surpreendeu com a extensão do sucesso. "As pessoas me cumprimentam na rua, gente desconhecida, mas que sabe quem sou. Me abraçam, dão tapinhas nas costas, felicitam como se o filme fosse deles. É muito legal essa relação calorosa do público com o cinema brasileiro. Se a gente faz um filme para elas, se a gente se dedica e faz bem, as pessoas correspondem." Daniel disse isso na sexta-feira, em São Paulo. Ele estava trabalhando na dublagem de seu novo filme, Tempos de Paz, adaptado da peça Novas Diretrizes em Tempos de Paz, de Bosco Brasil. Dan Stulbach, que divide a cena com Tony Ramos, faz um polonês. "Tivemos de corrigir o polonês dele", explica o diretor, que espera ter uma cópia pronta em meados de abril. Nos bastidores do cinema brasileiro, o comentário é que Daniel e a distribuidora Downtown estão empenhados numa guerra para levar Tempos de Paz ao Festival de Cannes, em maio. Daniel Filho é blasé. Diz que o tapete vermelho de Cannes não é sua prioridade. "Minha meta, agora, é fazer 6 milhões de espectadores." Tempos de Paz talvez não seja o filme mais indicado para isso, mas Daniel começa a filmar, no fim de maio, sua versão da vida do médium Chico Xavier e este, sim, tem potencial para chegar aos 6 milhões de espectadores. O filme sobre Chico Xavier será uma produção da empresa de Daniel, a Lereby, com apoio da Total. A própria Total tem pronto para lançamento O Divã, com Lilia Cabral, em cujo potencial Walkiria acredita. "Nossas sessões-testes têm tido excelente acolhida de todos os públicos." Ela esclarece que as tais sessões não visam a mudar o filme, para agradar ao público e, sim, ajudam a definir estratégias de lançamento. Se O Divã não estourar - "Toc-toc (ela bate na madeira), vira essa boca para lá" -, a Total filma, em seguida, outro filme também de olho nos 6 milhões - a versão brasileira de High School Musical (leia abaixo). A Total já tinha currículo quando lançou Avassaladoras em 2002. O filme fez o que parece hoje uma bilheteria modesta, mas originou uma série de TV e os tempos, afinal, eram outros. Walkiria lembra-se que o filme foi feito no capricho, já de olho no cross-over, mas a empresa ainda era inexperiente e a parceria com a Fox engatinhava. Olhem o que diz Daniel Filho: "Walkiria consegue maravilhas com o pouco dinheiro de que a gente dispõe. Ela satisfaz meus caprichos de diretor como eu próprio não faço como produtor." E ela não intervém no processo criativo. A própria Walkiria conta que os roteiros de Se Eu Fosse Você e Se Eu Fosse Você 2 foram muito trabalhados, mas ela é incapaz de citar uma idéia sua que esteja nos filmes acabados. Em compensação - "Acho que minha maior contribuição está no lançamento. Modéstia à parte, eu sei lançar um filme. Aprendi." O primeiro Se Eu Fosse Você, segunda maior bilheteria da Total, deveria ter sido dirigido por Jorge Fernando, que teve de abrir mão do projeto, sendo substituído por Daniel Filho, que já era supervisor artístico (pela Globo Filmes). A produção, inclusive, parou para que Daniel redesenhasse o seu filme, com troca de elenco e tudo. Os custos dispararam. Walkiria, a locomotiva, segurou as pontas. Agora, ela pode ser a dona da bilheteria, mas foi um longo caminho. E ela contribui no processo criativo, sim, mas de forma que o público nem percebe. Walkiria começou na área de ciências exatas, trabalhando com física, sua especialidade, num centro de pesquisa. O cinema veio depois. Ela sempre foi atraída por design. Adora assessorar o diretor de arte Marcos Flaksman. "Marquinho tem sido muito generoso comigo. Essa é a área que me atrai. Definir as cores no cenário, um livro que estará na estante, tudo aquilo que ajuda a definir o personagem sem chamar a atenção. É meu chão", ela diz. Ranking SE EU FOSSE VOCÊ 2 5.600.000 espectadores Ano: 2009 SE EU FOSSE VOCÊ 3.644.956 espectadores Ano: 2006 SEXO, AMOR & TRAIÇÃO 2.219.423 espectadores Ano: 2004 SEXO COM AMOR? 419.991 espectadores Ano: 2008 A GUERRA DOS ROCHA 344.065 espectadores Ano: 2008 AVASSALADORAS 310.260 espectadores Ano: 2002 Filmes mais vistos da empresa Total Entertainment, com distribuição da Fox Film do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.