Scorsese diverte-se com os problemas, em Depois de Horas

Se precisou esperar muitos anos até receber seu Oscar de melhor diretor apenas em 2007, por Os Infiltrados, Martin Scorsese já era badalado muito antes pelos grandes festivais europeus de cinema. Em 1986, por exemplo, ganhou um merecido prêmio de direção em Cannes por seu trabalho em Depois de Horas, que o Cinemax Prime exibe às 22h15.Trata-se de um filme engraçado mas, antes de tudo, angustiante. Griffin Dunne faz o sujeito que passa uma madrugada atrás de uma mulher, em Nova York, vivendo situações bizarras e extravagantes, pois a mulher é, ao mesmo tempo, a atração e a armadilha.Ele não só demora para a encontrar como é barrado em todos os pontos que visita. Scorsese, aliás, nunca escondeu que adora o acúmulo de problemas, à medida que o personagem segue seus desejos.Psicanalistas fizeram uma análise original do filme, especialmente a partir da cena em que o personagem descobre, no banheiro, um grafite em que um pênis está prestes a ser devorado por uma vagina dentada. Para eles, era uma alegoria sobre a masturbação ou sobre o medo masculino do sexo feminino assim representado. Elucubrações à parte, o filme diverte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.