Rússia perde Ekaterina Maximova

A bailarina russa Ekaterina Maximova, que integrou por 30 anos o cenário do Teatro Bolshoi da Rússia, morreu ontem, aos 70 anos, em sua casa em Moscou. A causa não foi anunciada. Ekaterina trabalhava como professora de balé, debutou no Bolshoi em 1958 como Masha da obra O Quebra-Nozes e até 1988 foi estrela da casa, sendo chamada de "Ekaterina, a Grande" por sua técnica impecável e sua versatilidade. Interpretou ao longo de sua carreira a maioria dos papéis dos clássicos do balé e experimentou também a dança de vanguarda. Ela era casada com Vladimir Vasiliev, que foi diretor do Teatro Bolshoi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.