Roda Viva passará a ser gravado: ao vivo, somente na web

TV Cultura Reforma: Heródoto Barbeiro diz que emissora quer usar a internet ?para dar um salto no programa? e interagir mais com o público

Cristina Padiglione, O Estadao de S.Paulo

20 de fevereiro de 2009 | 00h00

A reforma no Roda Viva não se resume à troca de apresentadores, de Lillian Witte Fibe por Heródoto Barbeiro. A partir de 2 de março, o programa retoma a realização de entrevistas inéditas, mas não mais ao vivo pela TV, característica que marca sua trajetória de 22 anos no ar. Explica-se: o novo Roda Viva passará a ser gravado às 19 horas de segunda-feira, pouco antes de ser exibido pela TV Cultura, sendo transmitido ao vivo apenas pela internet. Embora o programa já estivesse sendo visto ao vivo pela web, Heródoto aposta que a interatividade online funcionará melhor às 19h.Se Lillian Witte Fibe deixou o comando do programa, como antecipou em entrevista ao Estado, por crer que boa parte dos entrevistados não tinha relevância, Heródoto se abstém de comentar a opinião da ex-âncora. Eis o que ele diz ao Estado sobre sua volta à mesma cadeira que ocupou entre 1994 e 95:Por que foi decidido que a atração só terá transmissão ao vivo pela web?Nós queremos dar um salto no programa. Vamos usar o recurso do IPTV e apostamos que a participação do internauta, que rende muito mais interatividade que telefonemas de telespectadores, será bem maior às 7 da noite. Estamos vivendo uma confluência de mídias e aposto muito nisso.A Lillian Witte Fibe deixou o programa por crer que o time de entrevistados estivesse fraco. Você concorda?Eticamente, não me compete concordar ou discordar porque eu não estava no Roda Viva nesse período, estava no Jornal da Cultura.Já conversou com a equipe sobre nomes de entrevistados?O Roda Viva se distingue por entrevistar nomes que interessem à sociedade. Mas devemos olhar para determinados temas e a partir deles escolher o entrevistado. Por exemplo: dentro da crise econômica mundial, estamos assistindo à ameaça de fechamento da maior montadora do mundo. Por que não trazer alguém da indústria automobilística? Se eu for pensar apenas em celebridades, terei de esperar o presidente da GM passar pelo Brasil. Mas é claro que há pessoas que sempre interessam. O Felipão nos interessa.A Lillian disse que não tinha sugestões acatadas pela equipe. Você participará da escolha de entrevistados?Não quero sentar lá só para apresentar o programa, quero participar e, com essa abertura para a internet, dar um up grade no Roda Viva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.