Rock in Rio Lisboa se rende a Bon Jovi

A boa recepção surpreende Rod Stewart e Joss Stone, Amy Winehouse decepciona e Ivete Sangalo está em todas

Jair Rattner, Lisboa, O Estadao de S.Paulo

04 de junho de 2008 | 00h00

Cerca de 230 mil pessoas estiveram no Parque da Bela Vista, em Lisboa, nos três primeiros dias da edição portuguesa do Rock in Rio. Os espetáculos de maior sucesso foram os de Bon Jovi, Ivete Sangalo, Rod Stewart, Alanis Morissette e Joss Stone. A grande decepção foi a inglesa Amy Winehouse. No primeiro dia, com 110 mil pessoas, quem animou o público foi Ivete Sangalo, que fez várias declarações de amor aos portugueses, que dançaram o tempo todo do seu show.A grande expectativa da sexta era Amy Winehouse, na primeira apresentação da cantora em Portugal. Havia a dúvida se ela realmente entraria no palco - no ensaio, apenas sua banda tinha comparecido. Com 40 minutos de atraso, Amy entrou cambaleante, com um copo de vinho na mão e a voz rouca e falhando. Das 18 músicas previstas, cantou 13 - sucessos como Rehab. Duas vezes pediu desculpas pelo atraso e numa delas falou: ''Eu deveria ter cancelado este show; não estou bem, nem consigo ficar de pé. Mas quero tanto estar aqui.'' Fez várias referências ao marido, que está preso, dizendo que estava fazendo um ano de casada. Quando cantava Wake Up Alone, a nona música do concerto, Amy caiu no chão e foi levantada por dois vocalistas, que conseguiram sustentar o restante do show.Em seguida veio Lenny Kravitz, num show de profissionalismo exemplar, com 16 de seus sucessos, mas que não empolgou o público.No segundo dia, sábado, o Skank fez a primeira apresentação do palco Mundo. O grupo mineiro não teve muita sorte e mesmo com músicas como Garota Nacional e Futebol só reuniu cerca de 20 mil pessoas, pois sua apresentação coincidiu no horário com jogo da seleção portuguesa. Neste mesmo palco, a canadense Alanis Morissette mostrou duas músicas do seu novo disco, Flavours of Entanglement. O grande destaque foi Citizen of the Planet, com mais metais e um afastamento da tonalidade e harmonia tradicionais, passando para batida mais forte. O espetáculo de Alejandro Sanz estava morno, com pouca resposta do público, até a entrada de Ivete Sangalo, que fez um dueto no grande sucesso do cantor espanhol Corazón Partido. Ivete sambou, ensaiou passos de flamenco, trocou carícias com Alejandro e levantou a platéia portuguesa.O melhor momento foi o espetáculo de Bon Jovi, que fechou a noite. Há 12 anos sem tocar em Portugal, ele logo conseguiu empatia com o público. Apresentou seus principais sucessos e a resposta da platéia foi tão calorosa que em vez das 18 músicas previstas, cantou 26. Domingo, Dia da Criança em Portugal, a entrada era gratuita para os menores de 10 anos, cerca de 8 mil entre os 45 mil presentes ao festival, e a apresentação do grupo alemão Tokyo Hotel provocou enorme histeria entre as adolescentes portuguesas.No geral, a programação deste Rock in Rio Lisboa foi eclética, agradando a diferentes públicos. Joss Stone, cheia de sensualidade, cantando descalça e distribuindo rosas para a platéia, mostrava-se comovida e, diante das 30 mil pessoas que cantavam músicas como Right To Be Wrong ou Tell Me About It, repetia emocionada: ''Não acredito.''Também Rod Stewart não esperava a recepção que teve, depois da mistura de gêneros de música do dia. Chegou a dizer, antes de cantar Forever Young: ''Tinha medo que a essa hora vocês estivessem em casa, na cama. Obrigado por ficarem.'' E apresentou alguns dos seus sucessos, como First Cut Is The Deepest, Baby Jane, Maggie May, Do Ya Think I''m Sexy? e Sailing.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.