Roberta Sá e a alegria de se cantar, em DVD

Registro traz mescla de seus dois CDs, além de inédita

Roberta Pennafort,RIO, O Estadao de S.Paulo

05 de setembro de 2009 | 00h00

Em pouco mais de quatro anos de carreira, Roberta Sá lançou dois bons CDs e conquistou um público que a tem como a nova voz da MPB. É para esses fãs que ela gravou o DVD Pra Se Ter Alegria, lançado com shows ontem e anteontem no Canecão. "As pessoas me pediam muito um DVD. A carreira é recente e essa foi a maneira que eu encontrei de registrar esse início. Poucas pessoas têm essa possibilidade", diz a cantora, que faz 29 anos em dezembro.

A gravação foi num show em abril, no Rio. A produção, caprichada: cenário de Gringo Cardia, figurino de Isabela Capeto... Mas o que se quer mesmo é ouvir Roberta cantar as músicas que compõem seu eclético e interessante repertório. Ela mesclou as faixas de Braseiro (2005), como A Vizinha do Lado, No Braseiro e Ah, Se Eu Vou e Que Belo Estranho Dia Pra Se Ter Alegria (2007), caso de Mais Alguém, Que Belo Estranho Dia de Amanhã e Fogo e Gasolina.

Adicionou a inédita Agora Sim, um samba bonitinho cuja melodia compôs com o marido, Pedro Luís (também parceiro em sua primeira composição, Janeiros, do segundo CD), para letra de Carlos Rennó. Para ela, é um prazer ouvir a plateia cantando, com o mesmo entusiasmo, compositores como Pedro Luís (autor de sete músicas do DVD), Marcelo Camelo (Casa Pré-Fabricada), Edu Krieger (Novo Amor), Rodrigo Maranhão (Samba de Um Minuto), e os "antigos" Sidney Miller (Alô Fevereiro), Janet de Almeida (Eu Sambo Mesmo) e Carvalhinho (Interessa?). "Fico emocionada de ouvir as pessoas cantando do início ao fim, de ver que estão gostando de música brasileira."

Um terço desse conjunto ela canta desde que se lançou. Por isso, Roberta e sua trupe (Pedro, Rodrigo Campello, diretor musical, produtor, arranjador e músico, além dos quatro instrumentistas da banda, Antonia Adnet, Élcio Cafaro, Jovi Joviniano e Ronaldo Diamante) acharam que fariam o DVD sem grandes dificuldades.

Além de ajustes aqui e ali, ela ainda teve de conciliar a preparação com a série de shows Alô... Alô?: 100 Anos de Carmen Miranda, que já passou pelos Centros Culturais Banco do Brasil do Rio, de São Paulo e de outras cidades (e a agenda continua: no fim de setembro, vai a Santos; em outubro, passa por Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre e Vitória; em novembro, a série segue viagem, para São Paulo e Campo Grande).

O DVD (MP,B Discos/Universal) resultou bonito, e vai agradar aos fãs. O show começa com O Pedido (Junio Barreto/Jam da Silva), sendo os versos "Atravessei o mar/ Vim trazer enfeite/ Me vesti rainha/ E dançar a festa" bem apropriados ao figurino: um majestoso vestido vermelho e rosa, que vai se transformando ao longo do show. Se neste início o gestual parece um tanto ensaiado, pouco a pouco Roberta vai se soltando e se deixando contagiar pelo calor da plateia. É evidente sua felicidade. "A gente tem muito amor por esse show, é uma celebração desse momento."

São três os convidados: Pedro Luís, Marcelo D2 e o bandolinista Hamilton de Holanda. Nos extras, gravados em estúdio, há encontros com Chico Buarque, Ney Matogrosso, Trio Madeira Brasil, Yamandu Costa e o cantor português de fado António Zambujo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.