Ritual de união é posto à prova

Em construção aberta, Ricardo Iazzetta coordena criação multimídia sobre as possibilidades do desejo

Livia Deodato, O Estadao de S.Paulo

13 de maio de 2009 | 00h00

Há dois anos, no meio do casamento de seu irmão, Renato Iazzetta, Ricardo imaginou a todos num movimento de congelamento progressivo. Ele, sozinho, era o único incapaz de permanecer estático e passeou entre todos os convidados dançando. A ideia que partiu dessa experiência ilusória foi armazenada e, mais tarde, muito discutida entre artistas das mais diversas áreas, como vídeo, música e design, além da dança. O primeiro passo foi elaborar diretrizes para a criação de um trabalho que procura entender "esse tipo de ritual que nutre diversas formas de desejo e expectativas". O segundo passo vai acontecer de hoje até o dia 28 (13 a 17 e 21, 27 e 28) em um processo aberto de construção, no qual o público poderá acompanhar etapa por etapa da produção do projeto intitulado Noiva Despedaçada - Forma e Estilhaçamento."Notei uma série de procedimentos de produção no casamento do meu irmão que, ainda assim, foi capaz de emocionar a mim e a toda a minha família. Emoções e reflexões que eu nem saberia dar nome, a princípio. Nesse trabalho procuramos dialogar entre o desejo e a forma, os contornos que esse desejo pode ganhar, a partir da imagem da noiva", explica Iazzetta, que desde 1997 trabalha em parceria com Key Sawao e juntos formaram a Key Zetta e Cia., cujo primeiro trabalho estreou em 2004.No total são 14 artistas, com idades entre 20 e 55 anos, envolvidos no desenvolvimento dessa obra, que terá como resultado performances marcadas para serem apresentadas entre os dias 22 e 24 e 29 a 31. Em discussões prévias sobre os possíveis rumos do projeto, naturalmente surgiram divergências de opiniões que devem influenciar - e enriquecer - o resultado das performances. Como, por exemplo, o ponto de vista de Hideki Matsuka, que acredita que o ritual da união entre duas pessoas de forma pública satisfaz uma necessidade anímica das testemunhas. Por outro lado, há quem defenda a ideia de que a afirmação desse compromisso tenha caído nas garras do mercado e, consequentemente, esvaziado seu significado."A questão do ritual contemporâneo pode ter sido central para nós, mas no entanto o público pode compreendê-la de outro modo, eventualmente resvalando em algum questionamento proposto", diz Iazzetta. A necessidade de dialogar com outras áreas que não se valham apenas do movimento sempre esteve presente na carreira da dupla. Segundo Key, diferentes linguagens, quando em processo de amálgama, podem ser capazes de construir uma expressão única e completamente nova. "Quando colocamos diferentes áreas em diálogo é possível estabelecer uma outra via de expressão."Entre os nomes participantes de Noiva Despedaçada estão Rodrigo Araújo, o Cabelo, do Coletivo BijaRi, responsável pelas videoartes da performance Celebração Áspera nº1, e o chef de cozinha Ricardo Pastore é quem vai comandar a preparação dos comes e bebes do Coquetel das Noivas, no dia 22, somente para convidados.O programa da construção aberta traz estampado um poema de autoria de Iazzetta: "Desse todo que aspira a ser/De todo estilhaçamento que se configura/Corte/Recorte/Matéria momento/de todo querer." ServiçoNoiva Despedaçada. Teatro de Dança (278 lug.). Avenida Ipiranga, 344, telefone 2189-2557. 4.ª a 6.ª, a partir das 14h30. Grátis. Até 31/5

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.