Rita Hayworth, duas vezes fatal no TCM

Nunca houve uma mulher como Gilda, proclamava a publicidade do filme noir de Charles Vidor que o TCM exibe às 22 horas. Gilda é Rita Hayworth, no papel que a imortalizou, mas ela também é A Dama de Shanghai, no clássico de seu (então) marido, Orson Welles, que o mesmo canal de clássicos exibe às 23h50. Suntuosamente fotografada por Rudolf Maté, Rita tira a luva no número Put the Blame on Mame e é como ficasse nua em Gilda. Glenn Ford é o jogador que identifica na amante do patrão sua ex-mulher. E começa a encrenca, agravada porque há uma insinuação de homossexualismo entre os dois machos. Logo em seguida, Rita encarna outra mulher fatal. O assassinato na galeria de espelhos na Dama é antológico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.