Retrato de Beauvoir a partir da sua escrita

Desde a adolescência, a filósofa francesa Simone Beauvoir (1908-1986) afirmava seu tour de force: resistir é escrever. E escrever, nesse caso, é lutar pela liberdade. Cheia de paixão e entregue ao rigor, ela se tornou uma militante com um autonomia rara entre as feministas da sua geração. Com sua atuação, ela abriu o caminho para muitas mulheres exercerem maior liberdade, por meio de uma escrita de energia indomável e um raro entusiasmo. Autora do mundialmente influente O Segundo Sexo, a feminista francesa elaborou escritos de densidade, da autobiografia ao romance. Esse é o retrato de Beauvoir que Jacques Deguy e Sylvie Le Bon compõem em Simone Beauvoir, Écrire La Liberté.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.