Resorts prometem novidades para o verão

A crise da economia global teve um desdobramento interessante no Nordeste. Se por um lado a oscilação das bolsas freou os investimentos na região, a ponto de raros empreendedores lançarem grandes complexos de estada e lazer no litoral, por outro, reforçou a rede já existente. Às vezes, incrementando a infra-estrutura de diversão e hospedagem. Em outras, abusando da criatividade para elaborar uma programação para lá de animada. O resultado é que, neste verão, os turistas vão ter muito mais o que fazer e aproveitar nos resorts e parques aquáticos nordestinos."O que salta aos olhos são as ampliações", comenta Alexandre Zubaran, presidente da Resorts Brasil, associação brasileira que reúne empreendimentos do setor. Para ele, a valorização do dólar, ao dificultar as viagens para o exterior, beneficiou o turismo nacional. "A virada do câmbio está sendo favorável aos resorts e está todo mundo fazendo melhorias e contratando pessoal.." Zubaran diz que, de modo geral, todo o segmento lançou atrações ou caprichou nas opções de entretenimento.Recém-saído das pranchetas, o Iberostar Praia do Forte abriu no começo do mês em sistema soft-opening - a inauguração oficial é dia 28 de novembro. O novo hotel da rede espanhola em território baiano é mais luxuoso que o já sofisticado Iberostar Bahia. Tem 536 apartamentos voltados para o mar e muita água: seis piscinas que somam 4 mil metros quadrados de espelhos d?água. Além disso, conta com anfiteatro para shows, seis restaurantes, cinco bares, parede para escalada, duas quadras de squash e três de tênis - no mês que vem, abrirá o spa.Também na Bahia, o Sauípe Eco Parque entra na estação com várias atividades radicais, incorporadas ao longo do ano. Entre elas, tirolesa, canoagem, trilha interpretativa, cavalgada e mountain bike, além do Museu de História Natural. Em Ipojuca (PE), o Nannai Beach Resort ampliou há pouco o lounge onde são realizados os luaus.O movimento de ampliação tem a ver com a nova tendência de transformar os resorts em pólos completos de lazer, algumas vezes até associados a parques temáticos. "Todo mundo transcendeu o conceito de resort e partiu para o modelo de um centro de entretenimento familiar", reforça Zubaran. ÁGUA DE BRINCARO Beach Park Fortaleza, complexo que abriga o mais conhecido parque aquático do Nordeste, também entra na temporada com novidades. Ele está finalizando a construção de um novo brinquedo, chamado Ramubrinká, nome que faz uma brincadeira com o jeito de falar cearense. São sete toboáguas, uma torre de 24 metros de altura e uma piscina de 500 mil litros. Quando inaugurado, no começo do ano, será o maior dos 18 brinquedos do parque.No Beach Park também se destacam o Maremoto, a maior piscina de ondas da América Latina, e o Insano, o mais alto (41 m) e veloz (105 km/h) toboágua do mundo.Os ingressos no Aqua Park custam R$ 80 (até 12 anos) e R$ 90; o passaporte de 3 dias sai por R$ 119 e, para 7 dias, R$ 139 - preços válidos até 1º de dezembro. Operadoras vendem pacotes a partir de quatro diárias (os de sete noites têm valores a partir de R$ 1.258). Desde junho, o complexo tem mais 225 suítes, graças à construção do Beach Park Acqua Resort.Menor, o Eco Parque Arraial D?Ajuda, no litoral sul da Bahia, também oferece atividades aquáticas para os turistas. Entre os principais brinquedos estão o Tambau (toboágua de 166 metros de extensão), a Tonga (toboágua fechado de 17 metros de altura), rio com correnteza e piscina com ondas que chegam a atingir 1 metro de altura. Os ingressos custam R$ 55 (adultos) e R$ 28 (crianças).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.