Reprises sob ajustes

Portaria amplia leque do Vale a Pena

Cristina Padiglione, O Estadao de S.Paulo

14 de fevereiro de 2009 | 00h00

A consolidação da autoclassificação indicativa (que permite às emissoras determinar a adequação de seus conteúdos aos horários de exibição), trunfo da Portaria que reformulou as regras para a Classificação Indicativa dos programas de TV, aliada ao compromisso assumido pela Globo, com o Ministério da Justiça, de reeditar cenas não apropriadas para o meio da tarde, são os itens que têm permitido à emissora a reprise, no Vale a Pena Ver de Novo, de novelas originalmente feitas para as 20 h.Como já anunciam as chamadas, Senhora do Destino, de Aguinaldo Silva, substituirá, no dia 2, Mulheres Apaixonadas, de Manoel Carlos.A partir da autoclassificação, o Departamento de Classificação Indicativa do Ministério da Justiça tem o dever de fiscalizar se a emissora está cumprindo o combinado. Se for o caso de novos ajustes, a emissora é advertida. O setor também reencaminha à emissora eventuais queixas de telespectadores ofendidos. No caso de Senhora do Destino, a Globo tem a seu favor o fato de o enredo ter sido inspirado num episódio real, amplamente noticiado pelos jornais: o sequestro de um bebê (Pedrinho) que só foi solucionado 18 anos depois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.