Relatos mostram reflexões e dúvidas

Enquanto aguardava ordens para seguir para o sertão, acompanhando o ministro da Guerra, Euclides preenchia de várias maneiras sua estada em Salvador. Comparecia à redação dos jornais para apresentar suas credenciais, costume da época que se perdeu. Visitava os feridos, evacuados do fronte, nos hospitais da cidade. Assistia ao desembarque das tropas veteranas que regressavam do interior, na estação da estrada de ferro. Vasculhava arquivos e bibliotecas para encontrar materiais que alicerçassem suas pesquisas. Até encontrou tempo para tratar de assuntos literários, visitando o poeta baiano de pseudônimo francês Pethion de Villar e com ele trocando escritos. Indagou dos mais versados suas impressões da contenda. Testemunhou depoimentos de prisioneiros. Enquanto isso, mal suportava a injustificada demora em Salvador, quando ansiava por chegar logo ao teatro da luta. E se desculpa por ficar disfarçando a falta de assunto.A missão principal do ministro era organizar o abastecimento, anteriormente tão mal feito que os soldados em Canudos chegaram a passar fome. Por isso se demorava em Salvador. Mais tarde, Euclides zombaria do caso e diria que a vitória dependera mais dos burros que dos homens, esses burros que arrastavam as carroças com mantimentos. O estado-maior do marechal permaneceria na capital por três semanas, aumentando a impaciência de Euclides. Só então tomaria o trem que o deixaria mais perto de Canudos. A partir daí vai descrevendo a viagem e o percurso, datando correspondências de Alagoinhas e Queimadas. Neste último povoado apeou do trem, para seguir a cavalo via Tanquinho, Cansanção e Quirinquinquá até Monte Santo, onde o ministro instalaria seu gabinete. Ainda de Salvador, envia este texto, que evidencia precocemente seus poderes literários de evocação dramática de situações: não viu a cena, ouviu-a descrita, mas recriou-a como se a tivesse presenciado. Ela vai com poucos retoques para as páginas de Os Sertões, e tem a honra de ser um de seus episódios mais marcantes. O escritor começa a duvidar daquilo que os políticos, os generais e os jornais apregoavam: podemos acompanhar a evolução de suas reflexões através destas reportagens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.