Relançamentos e novas edições marcam efeméride

Volume ilustrado sobre a campanha de Canudos e poesia reunida estão na lista

Ubiratan Brasil, O Estadao de S.Paulo

15 de agosto de 2009 | 00h00

O centenário da morte de Euclides da Cunha incentivou o mercado editorial a lançar títulos ou embalar antigas edições com uma nova roupagem. O clássico Os Sertões, por exemplo, ganha uma versão ilustrada e com introdução da professora Walnice Nogueira Galvão, pela Ediouro (544 páginas, R$ 59,90). O livro traz uma seleção de desenhos de Aldemir Martins (edição de 1968), de Alfredo Aquino (1975) e de J.B. Andersen (edição em língua alemã). Traz, também, reproduções de pinturas de Debret, Benedito Calixto e Vítor Meirelles, entre outros artistas, além de uma série de fotos da guerra de Canudos e de personagens ligados ao autor e ao conflito.Já a conhecida edição Obras Completas, lançada originalmente em 1966 pela Nova Aguilar, ganha mais um punhado de páginas na edição organizada agora por Paulo Roberto Pereira. "Atualizei a fortuna crítica, reorganizei a edição por ciclos, acrescentei mais cartas (eram 191, agora são 419) e também mais poemas, que totalizam agora 52", conta Pereira, cujo trabalho será lançado no início de setembro.A poesia, aliás, inspira Euclides da Cunha: Poesia Reunida, volume organizado por Francisco Foot Hardman e Leopoldo Bernucci e que deverá ser publicado pela Editora Unesp até o início de outubro. O livro, resultado de um trabalho iniciado em 1999, terá projeto gráfico de João Baptista Aguiar e vai trazer tanto poemas inéditos quanto dispersos - destaque para o caderno manuscrito Ondas (1883-84), que nunca foi editado integralmente; e para a poesia postal, da qual existem 12 exemplares remanescentes.Já a Editora Lettera.Doc e a Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Direito da USP lançam, no dia 28 de setembro, Castro Alves e Seu Tempo, sobre a conferência proferida por Euclides em 1907 aos estudantes do Largo de São Francisco, em São Paulo, e publicada nas páginas do Estado. A receita com a venda ajudará a construir uma estátua do poeta, a ser instalada em frente da Faculdade.Também em setembro deverá ser lançado o estudo Euclides da Cunha e a Bahia (Editora Ponto e Vírgula), do historiador e escritor baiano Oleone Coelho Fontes, que mostra as relações pessoais construídas por Euclides na Bahia. E, ainda neste ano, o editor executivo e colunista do Estado Daniel Piza lança Amazônia de Euclides - Viagem de Volta a Um Paraíso Perdido, relato da expedição que fez em março ao Alto Purus, reeditando o trajeto feito por Euclides. O livro será ilustrado com fotos de Tiago Queiroz, que acompanhou Piza na reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.