Record precisa produzir tanto quanto a Globo, diz Santiago

O autor Tiago Santiago termina o ano como figura de destaque da TV e, com fôlego, se prepara para a terceira temporada de Os Mutantes. Em conversa com o Estado, ele faz um balanço do ano, fala da concorrência e dá detalhes do que virá.Qual o balanço que você faz do ano?2008 foi um ano excelente, inesquecível porque tive meu filho e pelo sucesso de Os Mutantes. Tivemos excelente média geral no ano, perto de 15. Conseguimos o melhor resultado da Record com novelas no horário das 21h. Mantivemos A Favorita com média abaixo de 40 até bem perto do final. Chegamos a colocar 24 pontos de média e perto de 30 de pico, na virada da temporada. Agora vamos começar a jogar para o fim e a audiência vai subir.O que falta para que a Record chegue ao primeiro lugar de audiência?Caminhos do Coração e Chamas da Vida computaram horas em primeiro lugar. Porém, são sucessos pontuais. Para chegar ao primeiro lugar na média geral, a Record precisa produzir tanta teledramaturgia quanto a principal concorrente e promover com a mesma eficiência o que está produzindo.Quando o entrevistei em junho, você disse que A Favorita era uma novela medíocre. Mudou de opinião?Na época, eu estava reagindo a críticas da concorrência. Pelo pouco que vi, A Favorita cresceu na reta final. No começo, era realmente confusa. O João Emanuel é muito talentoso. Se não fosse pelos nossos mutantes, teria feito mais sucesso.O que pode contar sobre a terceira temporada de Os Mutantes?A segunda fase termina em março, com a saída de Marcelo, Maria e Samira da trama, porque a Bianca Rinaldi está grávida. A terceira temporada está prevista até julho e pretendo que seja meu grand finale. Na fase final, vou entrar com trama nova, mais realista. Ela será desenvolvida num colégio, no Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.