Radionovela de Janete Clair vai para o palco

Laura Cardoso é a estrela da comédia romântica Hoje Eu me Chamo Dinorá, que estréia hoje no Teatro Imprensa

Livia Deodato, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2021 | 00h00

Laura Cardoso acaba de completar 80 anos e ostenta uma vida artística que dispensa apresentações. Sempre deixou claro que não aceita qualquer papel para exibir seu precioso talento. Mostrou-se insatisfeita, inclusive, com a sua última personagem na televisão, Abigail Gomes, na novela O Profeta, que teve fim em maio. ''''Fiz com amor, mas modificaram a linha da personagem ao longo da novela e eu não gostei. No trabalho, sou elitista mesmo. Quero texto bom, quero trabalhar com uma boa direção e ao lado de um ótimo elenco'''', afirma.Tais critérios serviram, portanto, para que Laura aceitasse o convite feito pela dramaturga Maria Carmem Barbosa para integrar o espetáculo Hoje Eu me Chamo Dinorá, que estréia hoje para público no Teatro Imprensa - o texto foi escrito por Janete Clair especialmente para radionovela, gênero em que Laura iniciou sua carreira. ''''Foi uma grande escola para mim: você tinha que transmitir todas as suas intenções na voz. É uma pena não existir mais esse mercado, pois acredito que todo ator deveria começar por ele.''''Foi Maria Carmem, a roteirista do atual programa televisivo Toma Lá Dá Cá, ao lado de Miguel Falabella, a responsável pela adaptação do texto para o teatro. ''''Tive de aumentar um pouco o texto para alcançar o tempo de teatro, respeitando, é claro, a tônica de Janete. Além de uma grande escritora, ela era muito generosa: deixou tantas arestas na história que acabou facilitando o meu trabalho'''', conta.O segundo motivo que levou Laura a fechar o contrato para estrelar o elenco de Hoje Eu me Chamo Dinorá foi o fato de ter sido muito amiga de Janete. ''''Durante o processo de montagem, contei para eles como era gostoso fazer radionovela, ainda mais ao lado de Janete'''', relembra, saudosa. ''''A Laura foi praticamente a nossa consultora durante os ensaios'''', completa, aos risos, a diretora Cininha de Paula.Hoje Eu me Chamo Dinorá é uma comédia romântica, de um ato só. A personagem que dá nome à peça (vivida pela atriz Nívia Helen) é filha adotiva de uma abastada família mineira, cuja matriarca é Elisa (interpretada por Laura Cardoso), uma mulher à frente de seu tempo. Ela mantém conversas por telefone com Gilberto Sampaio (D''''Artagnan Jr.), sem ao menos conhecê-lo. Quando ele decide, finalmente, fazer uma surpresa a Dinorá, ela não está presente: pede, então, para o seu motorista, Romeu (João Lima Jr.), entregar o presente que já havia comprado para ela. Eis que a secretária de Dinorá, Cilene (Daniele Valente), decide se passar pela chefe, com o apoio da empregada Marta (Fabiana Karla). E Romeu, sem deixar por menos, faz o mesmo: transforma-se em Gilberto. Até entender como toda essa confusão será desfeita, prepare-se para dar muitas gargalhadas.''''A peça não deixa de ser um ''''divertissement'''', mas resgata algo muito importante e que está meio perdido: o romantismo'''', diz Cininha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.