Racine é um convite para debater a linguagem

Quando Roland Barthes se dispõe a falar sobre Racine, ele não busca estabelecer uma verdade sobre o dramaturgo e historiador francês. Falar de Jean Baptiste Racine (1939-1699) é um convite para participar da história, experimentando a linguagem. A estrutura dos textos de Sobre Racine deve à psicanálise e ao estruturalismo. Esses ensaios constituem uma reflexão sobre a crítica literária, quando Barthes (1915-1980) propõe à crítica universitária que revele a psicologia na qual se baseia. A Coleção Roland Barthes reúne importantes obras do semiólogo e filósofo francês, de reedições a publicações inéditas, como os Cursos do Collège de France. Ela é dirigida pela professora Leyla Perrone-Moisés.Sobre RacineRoland BarthesTradução de Ivone C. BenedettiMartins Fontes, 224 págs., R$ 36

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.