Questionamentos de um homem perto da morte

A peça Tragicomédia de Um Homem Misógino tem texto de Evaldo Mocarzel

Beth Néspoli, O Estadao de S.Paulo

04 de agosto de 2009 | 00h00

É bastante curiosa a trajetória, desde a gênese até a concepção final, de Tragicomédia de Um Homem Misógino, que estreia na quinta no Sesi Vila Leopoldina, um dos 3 projetos selecionados entre mais de 100 inscritos. No elenco, sob direção de André Guerreiro Lopes estão a musa do Cinema Novo Helena Ignez, sua filha, Djin Sganzerla, o ator e diretor Marcelo Lazzaratto e a atriz Siomara Schroder.O texto é do documentarista Evaldo Mocarzel, cineasta premiado no Brasil e no exterior - foram 19 só pelo filme À Margem da Imagem -, com outras dezenas (mesmo!) de longas em finalização, tipo do artista que já poderia se considerar realizado. Porém, o inquieto Mocarzel não esconde o seu desejo de lançar-se na ficção. Já teve duas peças encenadas, o infantil É o Bicho - A Ordem Natural das Coisas e o adulto RG, esta última sob direção de José Renato.Tragicomédia foi escrita num fluxo, em poucos dias, para participar das Satyrianas. "Era material bruto, que me atraiu pelo potencial gigantesco de inquietação", diz Guerreiro, que criou um fluxo de imagens projetadas sobre os atores e trilha musical improvisada ao vivo. "Não foi uma montagem, apenas aproximação, depois de dois ensaios. Mas muitos vieram falar com a gente, mobilizados pela força e estranheza daquela performance."Tal material bruto rendeu a montagem agora burilada com cuidado, sobre a mesma base imagética, musical e de interpretação. Lazzaratto é o misógino do título, rico, bem-sucedido, admirado, prepotente, que próximo da morte se isola numa ilha. Sob efeito da morfina, ele alucina a ?visita? da mulher e da filha num enfrentamento final com seus fantasmas. Recebe, ainda, a visita de uma misteriosa mulher de branco. "Gosto desse homem sem meias palavras, que ousa fazer amor com a morte", diz Lazzaratto. "A força da peça está nas questões existenciais profundas que ele enfrenta." ServiçoTragicomédia de Um Homem Misógino. 60 min. 14 anos. Centro Cultural Sesi Vila Leopoldina (80 lug.). R. Carlos Weber, 835, 3833-1092. 5.ª a sáb., 20 h; dom., 19 h. Grátis - retirar ingressos com uma hora de antecedência. Até 27/9

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.