Quem pode resistir a Kathleen Turner em Corpos Ardentes?

Quem não cairia na teia de Kathleen Turner, no auge de sua beleza? Ela é Matty Walker em Corpos Ardentes, de Lawrence Kasdan, hoje, no canal HBO, às 7 h. Matty enreda o advogado Ned Racine (William Hurt) e o convence a ajudá-la a livrar-se do marido, para que possam ficar juntos e, obviamente, no desfrute do dinheiro do casamento por interesse. A trama não é nova e nem Corpos Ardentes pode ser definido como filme perfeito (quantos podem?) Mas o seu charme é irresistível. Há algumas cenas que não saem da memória. Uma, quando Levine encontra Matty pela primeira vez, durante a apresentação de uma orquestra, à beira-mar. Ela, com um vestido branco que o vento suspende de maneira estratégica. Repare no ritmo da música que marca os movimentos da câmera e a troca de olhares entre os futuros amantes. Tudo é ritmo, cor e calor nesse filme extremamente bem dirigido. Outra cena é quando Matty se nega a abrir a porta de vidro para Levine e ele fica do lado de fora, atormentado pelo calor, pelo ruído crescente de um desses conjuntos de sininhos que balançam e se entrechocam pela ação do vento. E, claro, possuído por um desejo que o faz decidir-se a dar o grande salto e cruzar a fronteira. Sem volta. Filmaço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.