Gonzalo Fuentes/REUTERS - 18/12/2019
Gonzalo Fuentes/REUTERS - 18/12/2019

Quadro de Picasso será rifado por 100 euros para arrecadar doações

Iniciativa da associação francesa Aider les Autres vai sortear uma tela avaliada em mais de 1 milhão de euros e reverter as arrecadações para abastecer vilas em Camarões, Madagascar e Marrocos

Redação, O Estado de S. Paulo

20 de maio de 2020 | 08h00

Um quadro genuíno de Pablo Picasso será sorteado em uma rifa filantrópica organizada pela associação francesa Aider les Autres e pela casa de leilões Christie's, em Paris. Cada tíquete custa 100 euros (cerca de R$ 600), e a arrecadação será revertida para abastecer vilas em Camarões, Madagascar e Marrocos. Quem quiser arriscar pode conferir o site 1picasso100euros.com.

O sorteio será realizado em Paris nesta quarta-feira, 20, às 13h no horário de Brasília (18h no horário local), com transmissão ao vivo pelo site. Os organizadores já anunciaram que levantaram cerca de 5 milhões de euros, com os 50 mil tíquetes vendidos até a terça-feira, 19. 

O quadro é Nature Morte, um óleo sobre tela que Picasso pintou em 1921. O valor estimado da peça no mercado é de 3 milhões de euros. A obra foi vendida pelo colecionador David Nahmad, para a iniciativa, por cerca de 900 mil euros.

Segundo relatos da mídia francesa, os organizadores decidiram comprar a obra, e não incentivar uma doação espontânea, para estimular outros colecionadores a fazerem o mesmo no futuro, ou seja, se separar dos "seus" Picassos.

Em uma edição prévia da mesma iniciativa, realizada em 2013, um administrador americano de 25 anos levou para casa a pintura à guache L'Homme au Gibus (1914) por um valor similar. 

Nature Morte mede 22,9 cm x 45,7 cm, e é assinado e datado pelo artista no canto superior esquerdo, e foi exibido duas vezes, no San Francisco Museum of Art e na Zwemmer Gallery, de Londres. O quadro é autenticado pelo espólio de Picasso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.