EFE/ Tolga Akmen
EFE/ Tolga Akmen

Quadro de Pablo Picasso é vendido por US$ 115 milhões no leilão da Coleção Rockefeller

Obras de Claude Monet e Henri Matisse bateram recordes para os trabalhos dos dois artistas

EFE

09 Maio 2018 | 09h18

NOVA YORK — A obra Fillette à la corbeille fleurie, que Pablo Picasso produziu em 1905, foi vendida por US$ 115 milhões no leilão da coleção de Peggy e David Rockefeller realizado nesta terça-feira, 8, em Nova York. Este é o mais alto valor obtido até agora por um dos itens que formam a coleção do casal Rockefeller.

Os quadros Nymphéas en fleur, de Claude Monet, e Odalisque couchée aux magnolias, de Henri Matisse, bateram recordes para obras dos dois artistas.

No leilão beneficente, organizado pela casa Christie's, a tela de Monet, com tamanho de 1m60 por 1m80 e que foi pintada entre 1914 e 1917, foi vendida por US$ 84,6 milhões.

Já o óleo sobre tela que Matisse pintou em Nice em 1923, de 60,5 cm por 81,1 cm de dimensão, foi arrematado por US$ 80,7 milhões.

Membro de uma das mais poderosas famílias de banqueiros da história e filantropo, David Rockefeller, que faleceu em março de 2017, aos 101 anos, decretou em testamento o leilão de algumas de suas obras de arte e outros objetos valiosos, com renda revertida para instituições de caridade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.